Haiti reforma governo pela terceira vez em dois anos

O primeiro-ministro do Haiti, Laurent Lamothe, usou o Twitter para anunciar que está substituindo cerca de metade de seu gabinete, que tem 22 integrantes, na terceira grande reforma em seu governo em menos de dois anos. Desde novembro havia rumores de que o premiê queria mudar os ministros por causa de reclamações de que alguns deles não contribuíam para o governo.

AE, Agência Estado

03 de abril de 2014 | 12h53

No entanto, a decisão de formar um novo gabinete não foi tomada antes de representantes do Poder Executivo e do Legislativo, assim como de partidos da oposição, assinarem um amplo acordo no mês passado para, entre outras coisas, tentar organizar as eleições parlamentares e locais até o fim deste ano.

A nomeação mais incomum foi a de Marie Carmelle Jean-Marie para o cargo de ministra de Finanças. Ela renunciou ao mesmo posto no ano passado por razões que nem ela nem outras autoridades do governo revelaram, embora a imprensa local tenha afirmado que ela não tinha o apoio que queria para ampliar a transparência e realizar outras reformas no ministério.

Também foram nomeados novos ministros do Interior, de Relações Exteriores, da Educação, de Defesa, do Ambiente e de Esportes. O primeiro-ministro não deu explicações para as mudanças.

Essa é a terceira reforma significativa no governo de Lamothe, que assumiu o cargo de premiê em maio de 2012, e a quinta desde que Michel Martelly assumiu a presidência do país, em 2011.

As eleições estão atrasadas há mais de dois anos. Elas preencherão 20 assentos no Senado, que tem 30 cadeiras, e todos os 99 assentos da Câmara dos Deputados, bem como 140 prefeituras. O acordo propôs que as eleições sejam realizadas em 26 de outubro. A Câmara aprovou o acordo na terça-feira, mas ele ainda precisa passar pelo Senado. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HAITIGOVERNOREFORMAELEIÇÕES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.