Haiti tem recuperação lenta seis meses após terremoto

Maioria dos desabrigados pelo terremoto continua vivendo em barracas doadas pela comunidade internacional.

BBC Brasil, BBC

12 de julho de 2010 | 15h03

Lentamente e entre muitos escombros, os habitantes da capital do Haiti, Porto Príncipe, tentam reconstruir suas vidas e o que perderam no terremoto que atingiu o país há seis meses.

Os tremores mataram mais de 200 mil pessoas e deixaram cerca de 1,5 milhão de pessoas desabrigadas.

A tarefa de reconstrução ainda consiste basicamente em retirar os escombros. Cerca de 280 mil prédios comerciais e residenciais foram destruídos.

Segundo o chefe do departamento de América Central e Caribe do Itamaraty, ministro Rubens Gama Filho, estima-se que as perdas provocadas pelo terremoto sejam equivalentes a 120% do PIB do país.

Depois do sismo, o desemprego teria aumentado para 95%, disse o diplomata.

A maioria dos desabrigados, que ainda vive em barracas doadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) sobrevive por meio do comércio informal.

As crianças, principais vítimas do terremoto, se distraem nos acampamentos com jogos. Calcula-se que a metade das pessoas mortas pelos tremores eram crianças, e boa parte das que sobreviveram ficou órfã.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.