Haiti vai transferir 400 mil pessoas para campos fora da capital

Cada abrigo deve acomodar cerca de 10 mil sobreviventes; 500 mil estão desabrigados, segundo estimativas

BBC Brasil, BBC

21 de janeiro de 2010 | 23h12

Haitianos em abrigo improvisado na capital do país. Foto: Shawn Thew/Efe

 

PORTO PRÍNCIPE - Autoridades no Haiti vão transferir cerca de 400 mil sobreviventes do terremoto que atingiu a capital, Porto Príncipe, para campos improvisados em vilas em outras partes do país.  

 

Veja também:

linkPorto, bancos e lojas reabrem aos poucos no Haiti

linkONU reduz equipes de resgate no Haiti

linkEUA pedem que imprensa saia do aeroporto no Haiti

O ministro do Interior, Paul Antoine Bien-Aime disse que inicialmente 100 mil pessoas seriam levadas a 10 campos nas proximidades do subúrbio de Croix Des Bouquets.

Bien-Aime disse que o transporte gratuito seria fornecido para levar cerca de 10 mil pessoas para cada campo que será construído.

Ele não deu prazos para a transferência, mas disse que o trabalho começaria imediatamente.

Ressalva

Cerca de meio milhão de pessoas vivem atualmente ao relento em cerca de 447 campos improvisados da capital, segundo a Organização Internacional para Migração (IOM).

Dos 350 campos vistoriados, apenas 179 possuem tendas e somente três, água potável, segundo a IOM.

VEJA TAMBÉM:
video Assista a análises da tragédia
mais imagens As imagens do desastre
blog Blog: Gustavo Chacra, de Porto Príncipe
especialEntenda o terremoto
especialInfográfico: tragédia e destruição
especialCronologia: morte no caminho da ONU
lista Leia tudo que já foi publicado

O órgão da ONU disse estar distribuindo tendas, cobertores e roupa de cama plástica, mas alertou que abrigos menos provisórios vão se tornar uma necessidade em breve.

"As tendas não vão ser apropriadas em maio, quando começa a longa estação chuvosa e depois, com o início da temporada de furacões, mas agora não temos muita opção", disse o chefe da missão da IOM, Vincent Houver.

"É necessário que se discutam métodos de construção melhores com o uso de materiais mais resistentes", completou.

Cerca de 1,5 milhão de moradores de Porto Príncípe ficaram sem teto por causa do terremoto de magnitude 7.0 do último dia 12.

Dívida

Pelo menos 75 mil corpos foram enterrados até agora em valas comuns, segundo o governo. Muitos corpos permanecem ainda nas ruas da cidade.

Os Estados Unidos e a ONU afirmam que a distribuição de alimentos e água prossegue mas correspondentes dizem que muitos haitianos ainda não receberam ajuda internacional.

Algumas lojas e mercados reabriram na capital mas os preços vêm subindo e muitos não têm condições de comprar suprimentos.

O Banco Mundial disse que cancelou os pagamentos da dívida haitiana de US$ 38 milhões por cinco anos e estuda meios de cancelá-la definitivamente. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.