Haitiano morre em novo protesto contra a ONU no norte do país

Desde o início dos enfrentamentos, na segunda-feira, três pessoas já morreram em confronto

estadão.com.br,

17 de novembro de 2010 | 21h35

PORTO PRÍNCIPE - Uma pessoa morreu no terceiro dia de enfrentamentos entre haitianos e tropas da ONU do norte do país. Desde o início dos enfrentamentos, três pessoas já morreram em confronto.

Veja também:

mais imagens Olhar sobre o mundo: O drama da cólera no Haiti

Os manifestantes acusam as forças de paz do órgão no país (Minustah) de trazerem a epidemia de cólera que já matou mais de 1,1 mil pessoas no país, devastado por um terremoto em janeiro. A ONU diz que os protestos têm motivação política. O país escolhe um novo presidente no próximo dia 28.

De acordo com a imprensa local, os manifestantes e as tropas se desentenderam após um tanque ter sido retido na entrada da cidade. A polícia interveio para controlar a situação, mas até o final da tarde ainda havia pessoas na rua.

Segundo o último balanço do ministério da saúde, 1.110 pessoas morreram e foram registradas 18.382 internações por conta da doença.

Leia ainda:

linkHaitianos levam casos de cólera à Republica Dominicana e à Flórida

Com Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.