Haitianos protestam contra demora nos resultados da eleição

Milhares de pessoas saíram às ruas de Porto Príncipe nesta segunda-feira em atos violentos após a divulgação dos resultados das eleições haitianas, que indicam que o candidato Rene Préval não tem a maioria absoluta para ganhar no primeiro turno.Alguns manifestantes tentam se aproximar do Hotel Montana, onde o Conselho Eleitoral Provisório (CEP) estabeleceu seu centro de imprensa. Barricadas feitas com pedras bloqueiam algumas das principais avenidas da capital haitiana.As forças de segurança da Missão Especial das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), a cargo do exército brasileiro, redobraram o patrulhamento no edifício e ocupam ostensivamente as ruas de Porto Príncipe junto da polícia nacional.O CEP ainda não declarou oficialmente o resultado. Mas sua página na internet informa que, com 89,93% dos votos apurados, o ex-presidente René Préval tem 48,73% da preferência e Leslie Manigat, também ex-presidente, 11,84%. Isto significa que o candidato do partido A Esperança se afasta da maioria absoluta anunciada antes. Depois de Manigat, o terceiro colocado é o independente Charles Baker, com 7,93% dos votos.Nas últimas horas, dois dos nove membros do CEP denunciaram uma possível "manipulação" dos resultados das eleições a emissoras locais.O presidente do CEP do Haiti, Max Mathurin, garantiu nesta segunda-feira a "sinceridade" do processo eleitoral em andamento e pediu calma à população.Mathurin também pediu desculpas por não ter podido anunciar ontem à noite os resultados finais das eleições realizadas em 7 de fevereiro, como previsto anteriormente.As eleições presidenciais e legislativas do Haiti aconteceram na terça-feira passada após quatro adiamentos. Trinta e cinco candidatos se apresentaram à chefia do Estado, e 1.300 para a disputa por uma das 30 cadeiras do Senado e 99 na Câmara dos Deputados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.