Haitianos protestam nas ruas após denúncias de fraude em eleições

Milhares de pessoas queimaram pneus e invadiram postos eleitorais; candidatos pedem anulação

BBC Brasil, BBC

29 de novembro de 2010 | 09h33

PORTO PRÍNCIPE - Milhares de eleitores haitianos foram às ruas de Porto Príncipe nesta segunda-feira, 29, exigir a anulação das eleições presidenciais de domingo, depois que 12 dos 18 candidatos denunciaram fraudes no processo eleitoral.

 

Veja também:

lista Conheça os principais candidatos à presidência

blog Gustavo Chacra: Diário de Porto Príncipe

especial Cronologia da história do Haiti

No domingo, os 12 candidatos lançaram um manifesto conjunto com as denúncias e pedindo que o eleitorado se manifestasse publicamente contra as irregularidades.

Manifestantes queimaram pneus nas ruas e se dirigiram a postos de votação, onde destruíram cédulas de votação que já estavam nas urnas.

Os candidatos acusam o presidente haitiano, René Préval, de favorecer o candidato de seu Partido da União, Jude Celestin.

Mirlande Manigat, uma das líderes da oposição, disse que as urnas já haviam sido preenchidas com votos favoráveis a Jude Celestian antes mesmo do início da votação.

Eleitores sem voto

Já o governo e as autoridades que supervisionaram a eleição elogiaram o pleito e disseram que a eleição não será anulada.

O chefe da missão de paz no país (Minustah), Edmond Mulet, disse, em comunicado, que as eleições "foram bem", uma declaração que foi duramente criticada pelos candidatos de oposição.

A candidata presidencial Anne Marie Bijou disse à BBC que muitos haitianos foram até a capital para votar, mas não conseguiram. "Desde o começo, as autoridades não esperavam que as pessoas fossem votar, mas eles estavam errados. Grande parte dos haitianos veio votar, só para descobrir que, em alguns lugares, as urnas haviam sido enchidas de cédulas. Em outras áreas, disseram a eleitores que apresentaram seus documentos que eles já haviam votado."

O correspondente da BBC em Porto Príncipe Mark Doyle disse que havia eleitores cujos nomes não estavam nas listas de votantes e que oficiais eleitorais quase foram linchados por suspeitas de que haviam colocado cédulas falsas nas urnas.

 

Veja também:

linkCandidatos pedem anulação das eleições

linkONU se diz preocupada com incidentes no Haiti

linkConselho Eleitoral descarta anulação das eleições

 

Os resultados oficiais são previstos para ser divulgados a partir de 5 de dezembro. Os números finais devem sair em 20 de dezembro.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.