Halliburton pagou US$ 2,4 milhões em propinas na Nigéria

Uma subsidiária da Halliburton pagou a uma autoridade da Nigéria US$ 2,4 milhões em propinas para receber um tratamento fiscal favorável, de acordo com comunicado encaminhado à Securities & Exchange Commission. A empresa, que foi dirigida pelo vice-presidente dos EUA, Dick Cheney, de 1995 até 2000, informou que a KBR, sua subsidiária, pagou a propina a uma entidade presidida por um nacionalista nigeriano que atuava como consultor tributário ao mesmo tempo em que ocupava funções no sistem a fiscal local.As propinas foram pagas entre 2001 e 2002. Segundo aHalliburton, a empresa estaria devendo cerca de US$ 5 milhões em impostos que não foram pagos.De acordo com o comunicado, a descoberta do pagamento dapropina foi feita durante uma auditoria de rotina e que váriosfuncionários envolvidos no caso foram demitidos.A KBR está sendo investigada por ter conquistado um contrato do Pentágono sem concorrência para combater incêndios nos poços de petróleo no Iraque. O contrato é avaliado em cerca de US$ 7 bilhões.Cheney trabalhou por cinco anos na Halliburton antes de sairpara participar da campanha eleitoral à vice-presidência dosEUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.