David McNew/Reuters
David McNew/Reuters

Halloween 2019: conheça 6 tradições do Dia das Bruxas pelo mundo

Ainda que grande parte dos países, incluindo o Brasil, celebre a data como nos Estados Unidos, o Dia das Bruxas tem múltiplas versões ao redor do mundo

Ítalo Lo Re, especial para O Estado

30 de outubro de 2019 | 18h53

Celebrado em 31 de outubro, o tradicional Dia das Bruxas originou-se de um festival celta chamado Samhain, data utilizada pelo povo nórdico para homenagear o rei dos mortos com fogueiras e fantasias contra fantasmas, — dois costumes que acabaram sendo aglutinados com outras histórias e propagados de diferentes maneiras por culturas de todo o mundo.

Em meados do século 8, o papa Gregório III designou o dia 1º de novembro como um momento para honrar o Dia Todos os Santos — ou, na língua inglesa, All Hallows Day. A determinação, por consequência, fez com que a noite anterior fosse nomeada All Hallows Eve (Véspera do Dia de Todos os Santos), posteriormente transfigurando-se para Halloween.

Com a variedade adquirida pelo 31 de outubro, o Estado listou seis tradições do Dia das Bruxas pelo mundo:

Halloween nos EUA

Festa mais absorvida pela cultura brasileira, o Halloween norte-americano cativa pessoas a decorarem suas casas com a temática da festa. Dessa forma, cidades dos Estados Unidos e do Canadá ficam enfeitadas de teias de aranha, zumbis, vampiros, múmias, tumbas e abóboras, o mais popular item de decoração dos países. Os frutos são abertos, limpos em seu interior, esculpidos com rostos e, depois, recebem uma vela parte interna, o que os transforma em uma espécie de lampião.

Após todos os preparativos ficarem prontos, é hora das brincadeiras. O Halloween norte-americano é amplamente conhecido pelo famoso “Trick or Treat” (no Brasil, “Doces ou Travessuras”), que consiste em um costume de crianças, e quem mais se interessar, passarem pelas portas das casas apresentando suas fantasias e pedindo doces. Além disso, a data costuma contar com desfiles e festas temáticas nas cidades.

Dia de Los Muertos

Recentemente retratado no filme Viva - A Vida é uma Festa (2017), o Dia de Los Muertos (Dia dos Mortos) pode ser considerado a celebração mais famosa do Dia das Bruxas fora dos Estados Unidos. Realizada no México e em outros países da América Latina, ao contrário do que possa aparentar, o Dia de Los Muertos é uma festa bastante alegre, contando com casas enfeitadas com flores, velas e incensos.

Tradicionalmente, o conceito da celebração é que os portões do céu se abrem à meia-noite de 31 de outubro, permitindo que as almas dos que já se foram retornem para se reunir com suas famílias. De origem indígena, a celebração propaga a crença de que as almas dos mortos ficam entre os vivos até o dia 2 de novembro, quando retornam ao “provisório descanso eterno”.

Seleenwoche

Se o Halloween nos Estados Unidos dura um dia e o Dia de Los Muertos no México se passa três, na Áustria a festividade de Dia das Bruxas costuma acontecer por toda a semana. Na tradicional festa de Seleenwoche, em vez de procurarem por doces ou travessuras, as pessoas deixam água, pão e um abajur aceso em suas próprias mesas antes de irem para as camas. A intenção, com os adereços, é receber de volta as almas dos parentes falecidos.

Também conhecido como Semana de Todos os Santos, o Seleenwoche também promove a decoração de túmulos com lanternas e grinaldas. No último dia da semana, acontece uma grande missa, em nome de todos aqueles que já partiram.

Castelo do Drácula

Famosa Terra do Drácula, a Romênia merece um tópico à parte. As comemorações no país têm como palco o Castelo de Bran, na Transilvânia, recorrentemente associado ao príncipe Vlad Tepes, que viveu no século 15 e inspirou a história de Drácula, de Bram Stoker. Com isso, um grande número de turistas viaja todos os anos para a Romênia para celebrar o Halloween com festas à fantasia e contação de histórias. Além, claro, de assistir cenas inspiradas no conto do Conde Drácula.

Paralelamente, na Noite de Santo André, em 30 de novembro, os romenos enchem suas casas com dentes de alho como forma de proteção contra fantasmas e vampiros.

Pangangaluluwa

Nas Filipinas, embora a Pangalaluwa, maior tradição de Halloween, também envolva crianças fantasiadas tocando campainhas, a dinâmica é um pouco diferente. Isso porque elas não procuram por doces, mas entoam músicas tradicionais e pedem orações para as almas presas no purgatório. Em geral, os moradores também dão dinheiro ou comida como recompensa pela festa.

Festival Obon

Diferentemente de outros país, o Japão celebra as almas dos antepassados no mês de julho, quando ocorre o famoso Festival Obon, mais longa das celebrações nacionais. Os japoneses acreditam que, durante esse período, os espíritos dos antepassados retornam para visitar seus parentes. No último dia de festival, acontece uma cerimônia com lanternas em rios, lagos e ares, com o objetivo de orientar espíritos de volta ao mundo dos mortos. Recentemente, a tradição também passou a incorporar alguns elementos da cultura pop, com a população se vestindo de seus personagens favoritos.

Tudo o que sabemos sobre:
Halloween

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.