Hamas aceita cessar-fogo de 24 horas; Israel não se pronuncia

Algumas horas antes, o exército de Israel tinha suspendido uma prorrogação da trégua em resposta a ataques do lado palestino

Efe

27 Julho 2014 | 09h17

GAZA - O movimento islamita Hamas e outros grupos armados de Gaza aceitaram neste domingo uma proposta de cessar-fogo humanitário de 24 horas solicitada pela ONU, que teve início às 14h locais (8h de Brasília), anunciou seu porta-voz Sami Abu Zuhri.

A decisão foi tomada, segundo Zuhri, após as organizações levarem em conta a situação local e o apelo do enviado especial da ONU à região, Robert Serry, que passou essa nova postura a Israel para que se some a ela.

Um porta-voz citado pelo site do jornal israelense "Yedioth Ahronoth" disse que o governo de Benjamín Netanyahu não comentará o anúncio de cessar-fogo feito pelo Hamas e que desta vez esperará para ver se efetivamente seus militantes deixaram de disparar foguetes antes de se pronunciar.

Depois das 14h locais, milicianos palestinos ainda disparavam foguetes contra o território israelense.

Algumas horas antes, o exército de Israel tinha suspendido uma trégua humanitária de 24 horas aceita à meia-noite por seu primeiro-ministro e retomou seus ataques na Faixa após o Hamas e outras milícias dispararem mais de 25 foguetes.

"Depois do disparo incessante de foguetes pelo Hamas durante a janela humanitária (declarada unilateralmente à 0h por Israel), o exército retomou suas atividades por ar, terra e mar na Faixa de Gaza", disse um breve comunicado militar.

O Hamas, por sua vez, tinha descartado esse cessar-fogo porque não incluía a retirada das forças israelenses de seu território, segundo o porta-voz Fawzi Barhum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.