Hamas acusa Fatah de tentar "roubar" soldado israelense

O porta-voz do braço armado do Hamas, Abu Obaida, acusou nesta quinta-feira o coronel Mohammed Dahlan, do Fatah, de conivência com Israel e de tentar encontrar o soldado israelense seqüestrado Gilad Shalit, para trocar a sua libertação pela de centenas de prisioneiros palestinos."Temos informação confiável de que Dahlan está tentando encontrar o local onde se encontra o soldado israelense para tirar o sucesso do Hamas", disse Obaida à rádio pública israelense.A acusação se deve à rivalidade entre os dois movimentos, que tentam ganhar a popularidade na Cisjordânia e Gaza com a libertação de prisioneiros palestinos detidos em prisões de Israel.Dahlan, que goza de grande popularidade na Faixa de Gaza, onde foi comandante da Segurança Preventiva, estaria tentando devolver Shalit a Israel, que em troca soltaria centenas de prisioneiros palestinos.No entanto, para Obaida, Dahlan, um dos principais dirigentes do Fatah, "está disposto a conseguir a liberdade do soldado à custa de milhares de palestinos" detidos em prisões de Israel.Segundo dirigentes do Hamas, Dahlan teria se comprometido com Israel a fazer esforços para soltar o soldado cativo em Gaza, sem contrapartidas. Por isso Israel teria retrocedido recentemente na negociação para a troca de Shalit por prisioneiros. O Hamas exigia a libertação de 1.500 prisioneiros.O ministro da Defesa de Israel, Amir Peretz, deu a Dahlan permissão para circular livremente entre Gaza e Cisjordânia, afirma o jornal israelense Maariv.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.