Hamas acusa legislador da Fatah de complô contra premiê

O Hamas (Movimento de Resistência Islâmica), à frente do governo palestino, acusou forças leais ao presidente Mahmoud Abbas, da facção Fatah, de tentar matar o primeiro-ministro Ismail Haniyeh e prometeu punir os responsáveis, aumentando temores de uma guerra civil na região.Um porta-voz do Hamas identificou uma autoridade da Fatah, o legislador Mohammed Dahlan, como a pessoa por trás de um ataque na última quinta-feira contra o comboio de Haniyeh perto da fronteira de Rafah, entre Gaza e o Egito.Um dos guarda-costas do premiê foi morto. Outro guarda-costas, um filho de Haniyeh, e um assessor ficaram feridos. "As mãos sujas que assassinaram e feriram os guarda-costas do primeiro-ministro e atacaram o comboio do primeiro-ministro não escaparão da punição", disse o porta-voz, que não apresentou provas da participação de Dahlan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.