Hamas ameaça atacar interesses dos EUA no Oriente Médio

Nesta quarta-feira, o Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) ameaçou atacar interesses dos Estados Unidos no Oriente Médio. Este chamado aparece em comunicado emitido pelo braço armado do Hamas, as Brigadas de Ezzedine al-Qassam, depois da morte de 19 palestinos no norte da Faixa de Gaza, em sua maioria civis, por disparos de carros de combate do Exército israelense. "A América dá cobertura política e logística aos crimes cometidos pela ocupação sionista (Israel) e deve ser culpada pelos massacres de Beit Hanun", afirma o grupo armado em comunicado. O documento também exorta o mundo árabe e muçulmano a "ensinar ao inimigo americano uma lição impiedosa que nunca esquecerá". No passado, o grupo islâmico, que agora lidera o Governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP), limitou sua luta contra a ocupação israelense ao território de Israel, Cisjordânia e Gaza. As Brigadas de Ezzedine al-Qassam também juraram vingar as mortes de Beit Hanun com a retomada de ataques suicidas contra alvos israelenses e seqüestros de soldados. Meios de comunicação palestinos disseram que o cônsul-geral dos EUA em Jerusalém, Jake Walles, cancelou uma visita à cidade de Ramala, na Cisjordânia, onde participaria de uma feira tecnológica palestina. Segundo a imprensa local, a razão do cancelamento se deve à delicada situação nos territórios palestinos.

Agencia Estado,

08 Novembro 2006 | 11h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.