Hamas ameaça atacar se operação não for suspensa

O Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) ameaça atacar alvos israelenses como colégios, instituições e centrais elétricas dentro de Israel se o país não suspender a operação militar lançada em Gaza para libertar o soldado Gilad Shalit, seqüestrado há uma semana."Se os israelenses continuarem com este tipo de ataque, atacaremos alvos na Ocupação Sionista (Israel) que não atacamos até agora", afirmou Abu Ubaida, porta-voz do braço armado do Hamas, as Brigadas de Izz al-Din al-Qassam.Ubaida se referia aos bombardeios aéreos e terrestres lançados nos últimos cinco dias dentro da operação "Chuvas de Verão", destinada a conseguir a libertação do soldado, capturado no domingo passado por milicianos e levado para Gaza."Se a ocupação continuar com suas agressões e o terrorismo contra nosso povo, levará toda a região a um mar de sangue e as conseqüências serão terríveis. Temos ainda muitas opções", acrescentou.O braço armado do grupo islâmico acusou Israel de "ter iniciado uma guerra suja" e de "insistir em continuar sua brutal e bárbara ofensiva sem conhecer o destino do soldado seqüestrado". O comunicado também condenou o "silêncio dos países árabes diante das agressões israelenses".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.