EFE/EPA/Andrew Harrer / POOL
EFE/EPA/Andrew Harrer / POOL

Hamas ameaça Trump sobre mudança de embaixada americana para Jerusalém

Movimento islâmico diz que medida pode fazer com que novo presidente americano ultrapasse 'todas as linhas vermelhas'

O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2017 | 13h05

GAZA - O movimento islamita Hamas advertiu nesta segunda-feira,23, o novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para que não transfira a embaixada americana de Tel-Aviv a Jerusalém. Segundo o grupo, que controla a Faixa de Gaza há dez anos, isso significaria "ultrapassar todas as linhas vermelhas".

"Advertimos sobre os perigos de mudar a embaixada americana de Tel-Aviv para a Jerusalém ocupada", disse o movimento islamita em comunicado divulgado hoje em Gaza.

A possível mudança, que Trump anunciou durante a campanha eleitoral, foi um dos assuntos abordados ontem entre o novo presidente e o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em uma conversa telefônica.

Ontem, foi o presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas, disse que o Fatah, que controla parte da Cisjordânia, está preparando várias medidas, caso a sede seja alterada. Abbas se reuniu na Jordânia com o rei Abdullah II, que se comprometeu a apoiá-lo para barrar os planos do líder americano.

No início de janeiro, Abbas afirmou que a mudança da embaixada americana para Jerusalém seria uma "agressão" e ultrapassaria uma "linha vermelha" inaceitável.

Embora Israel considere Jerusalém sua capital, nenhum país tem sua embaixada nessa cidade e todas ficam em Tel-Aviv ou em localidades próximas. O status da cidade, cuja parte oriental, de maioria palestina, foi ocupada em 1967, é disputado pelas duas partes do conflito. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.