REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa
REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

Hamas aplica pena de morte por assassinato pela primeira vez desde 2007

Autoridade Nacional Palestina e grupos de direitos humanos são contrários à medida. Castigo era usado contra colaboradores de Israel

O Estado de S. Paulo

31 Maio 2016 | 10h12

FAIXA DE GAZA - Autoridades do movimento islamista Hamas executaram nesta terça-feira, 31, três palestinos que cumpriam pena por assassinato na Faixa de Gaza, no primeiro ato deste tipo desde 2007 e uma semana após o anúncio do retorno da pena capital na região.

O Ministro do Interior do Hamas informou que três pessoas oriundas de Khan Yunes, ao sul do território de Gaza, foram executadas por um pelotão de fuzilamento em um local fechado e longe dos veículos de imprensa. Alguns dos familiares das pessoas assassinadas pelos condenados assistiram à execução.

Trata-se da primeira vez desde 2007 que os responsáveis pelo Hamas aplicam a pena de morte sobre alguém sentenciado por assassinato, um castigo que era usado contra colaboradores de Israel.

A decisão implementada nesta manhã é o resultado da aprovação há uma semana da lei parlamentar para aplicar a pena de morte em Gaza, apesar da oposição do governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP, efetiva somente na Cisjordânia) e de grupos de direitos humanos.

O Hamas informou que a lei foi aprovada com o voto favorável dos legisladores islamistas no Conselho Legislativo Palestino, que nunca chegou a reunir seus 132 deputados desde que o grupo assumiu o controle de Gaza em 2007.

O governo em Ramala denunciou que a aprovação dessa lei é "ilegal" porque "o Hamas é só um movimento, e não um governo com o poder de fazer leis e executá-las". /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.