Hamas começa a deter altos comandantes do Fatah

Milícia Izz al-Din Qassam afirma ter detido vários oficiais da ANP

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

O movimento islâmico Hamas promoveu nesta sexta-feira, 15, em Gaza uma ampla campanha de detenções de oficiais e altos comandantes do movimento rival Fatah, informaram fontes da milícia Izz al-Din Qassam. O porta-voz da milícia, Abu Obaida, disse que seus homens detiveram diversos oficiais e comandantes das forças de segurança da Autoridade Nacional Palestina (ANP), ligados ao Fatah. Entre os detidos estão os comandantes da Segurança Nacional e da unidade de elite da Guarda Presidencial, assim como o secretário do Fatah em Gaza e o porta-voz do partido, além de um deputado e outros seis altos funcionários. Com a exceção da Força Auxiliar, criada pelo Hamas em 2006, todos os corpos de segurança da ANP eram dirigidos por membros do Fatah, e só recrutavam homens leais ao presidente Mahmoud Abbas. A discriminação, ao longo dos anos, gerou descontentamento, desconfiança e rivalidade por parte dos milicianos do Hamas. Muitos deles agora buscam uma vingança. A hostilidade se estende à milícia do Fatah que não fazia parte das forças de segurança, as Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa. Na noite de quinta-feira, militantes do Hamas executaram um dos comandantes das Brigadas, Samih al-Madhoun. Ele havia sido capturado vivo numa estrada no campo de refugiados de Nusseirat. Os dirigentes políticos temem que os milicianos islâmicos mais radicais iniciem uma caça a militantes e oficiais do Fatah, como vingança pela que eles promoveram em 1996. Mas Abu Obaida acrescentou que nas próximas horas os dirigentes do movimento decidirão o que fazer com os detidos, muitos deles acusados de "colaboracionismo" com Israel. Matéria ampliada às 07h50.

Mais conteúdo sobre:
Fatah Hamas prisão altos comandantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.