Hamas confirma que Meshaal quer renunciar como líder

O líder do Hamas, Khaled Meshaal, que sobreviveu a uma tentativa de assassinato em 1997, confirmou que deseja renunciar, após oito anos no posto, disse o movimento islâmico. "O chefe do escritório político Khaled Meshaal notificou o conselho consultivo de que não deseja ser candidato para a liderança futura do movimento", afirmou o movimento.

CLARISSA MANGUEIRA, Agência Estado

21 de janeiro de 2012 | 11h36

Altas autoridades do Hamas pediram para Meshaal reconsidere a decisão, segundo o comunicado. Ele pediram que ele deixe a decisão para o conselho consultivo "com base nos mais elevados interesses do movimento, destacando que não é um assunto puramente pessoal".

Meshaal, de 55 anos, continua ativo no Hamas "a serviço das pessoas, do movimento e da causa palestina", destacou o movimento.

O escritório político é o principal órgão tomador de decisões do Hamas e seus membros são eleitos em uma votação secreta por um conselho consultivo muito maior. As próximas eleições estão previstas para serem realizadas em julho, ou agosto, afirmaram fontes do Hamas. Entre os principais candidatos para assumir o posto de Meshaal estão o seu braço direito, Mussa Abu Marzuq; o líder do governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniya, e outra figura proeminente do movimento em Gaza, Mahmud Zahar.

A confirmação do Hamas de que Meshaal deseja renunciar ocorre em meio a relatos da imprensa de atrito crescente entre a liderança baseada em Damasco e o braço do movimento em Gaza, que governa o território desde a expulsão das forças leais ao presidente palestino, Mahmud Abbas, em 2007. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Khaled MeshaalHamasrenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.