Hamas convida Hezbollah para "acordo de troca de presos"

O grupo islâmico Hamas convidou nesta quinta-feira (13) a milícia libanesa Hezbollah para "aproveitar a situação no Oriente Médio e tentar um acordo global para conseguir a libertação de prisioneiros palestinos e libaneses" presos em Israel, como parte de uma troca pelos soldados israelenses seqüestrados pelas duas organizações.O Hamas explicou em comunicado que "chegou a hora de alcançar um acordo global e realista que ponha fim ao sofrimento dos numerosos presos detidos em Israel". O grupo ainda pede que os dirigentes israelenses "trabalhem com inteligência e lógica para escutar as vozes que surgem de seu próprio povo, que defendem a troca dos presos pelos soldados".O comunicado ainda acrescenta que as contínuas detenções de presos políticos palestinos por Israel "dão à resistência palestina e libanesa o direito de capturar soldados israelenses". Além disso, afirma que "as ameaças israelenses de atacar alvos vitais no Líbano e reocupar territórios do país não resolverão o problema".O Hamas seqüestrou o soldado Gilad Shalit, de 19 anos, no último dia 25 de junho, após um ataque contra uma base do exército israelense a poucos metros da fronteira sul de Gaza. Integrantes do Hezbollah fizeram o mesmo na quarta-feira, ao capturar outros dois militares israelenses na fronteira com o Líbano, após um ataque contra um blindado que efetuava uma patrulha de rotina no território de Israel.O Governo israelense, liderado pelo primeiro-ministro Ehud Olmert, reiterou em repetidas ocasiões que não negociará com nenhuma organização terrorista a troca dos soldados retidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.