Hamas critica reunião entre Abbas e Olmert

O porta-voz do governo palestino liderado pelo grupo islâmico Hamas, Ghazi Hamad, qualificou de manipulação política de Israel a reunião repentina realizada no sábado à noite entre o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. Olmert afirmou neste domingo que pretende encontrar-se mais vezes com o líder palestino.Para o Hamas, a reunião entre Olmert e Abbas é parte de uma campanha de imagem frente à comunidade internacional destinada a ganhar tempo, em troca do alívio de restrições triviais aos palestinos. O porta-voz destacou que Israel não garantiu, por exemplo, uma das principais reivindicações dos palestinos, como a libertação de prisioneiros, e que não transferirá "toda a quantia de dinheiro pertencente ao povo palestino".Em declarações à imprensa, Hamad enfatizou que, apesar de anunciar a liberação de US$ 100 milhões, o Estado judeu mantém retidos outros US$ 600 milhões - quantia relativa a impostos de importação pagos pelos palestinos. O dinheiro parou de ser repassado ao governo da ANP depois que o Hamas assumiu o governo, em março.Por sua parte, a Jihad Islâmica palestina qualificou a reunião entre Olmert e Abbas de "perda de tempo" e disse que "não servia aos interesses do povo palestino".Gabinete israelenseDurante a reunião semanal do gabinete de governo israelense, neste domingo, Olmert confirmou a transferência dos US$ 100 milhões em impostos à ANP.Esta quantia não será diretamente transferida ao presidente Abbas, mas será canalizada por meio de um mecanismo para que os fundos não cheguem às mãos do Executivo do Hamas, segundo os meios de comunicação israelenses.Também neste domingo, o premier disse que pretende realizar mais encontros com Abbas, com o objetivo de manter um "diálogo permanente" com o líder palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.