Hamas derrota último grupo opositor em Gaza

O grupo islâmico Hamas eliminou o último grande bolsão de resistência na Faixa de Gaza desde que tomou o controle do território palestino há 14 meses, informou hoje um oficial graduado do movimento. O grupo derrotou em combates, no sábado, o clã Hilles, aliado ao partido Fatah. Pelo menos onze pessoas foram mortas nos combates e dezenas de combatentes do clã foram aprisionados pelo Hamas. Outras dezenas conseguiram fugir para o Estado de Israel, que hoje permitiu que a maior parte dos fugitivos buscasse asilo na Cisjordânia.No sábado, a incursão do Hamas contra a fortaleza dos Hilles, no bairro de Shijaiyeh, Cidade de Gaza, levou a um combate com fogo de morteiros e fuzis de assalto. A vitória do Hamas significou mais um revés para o presidente palestino Mahmud Abbas, que governa a Autoridade Nacional Palestina (ANP), apoiada pelo Fatah, a partir da Cisjordânia.A liderança de Abbas na Cisjordânia tem se enfraquecido pelas constantes concessões a Israel no processo de paz. A derrota do clã Hilles, um dos últimos bastiões de alto perfil do Fatah na Faixa de Gaza, fortalece o controle do Hamas sobre o território e deixa mais remota a possibilidade de que Abbas possa reunificar o território em um futuro Estado da Palestina. O Fatah perdeu o controle do território para o Hamas após uma sangrenta batalha no final do primeiro semestre do ano passado."Nós acreditamos que este era o último bastião (do Fatah) em Gaza," disse Islam Shahwan, porta-voz da polícia do Hamas na Faixa de Gaza. Ilustrando o controle do grupo sobre o território, ele disse que todos os integrantes de outro clã leal ao Fatah, os Dughmush, podem ser localizados por telefone e intimados a comparecer à polícia no momento em que o Hamas quiser.Shahwan disse que mais de 100 homens do clã Hilles estão detidos e o Hamas conquistou um grande arsenal na luta, com morteiros, rifles de assalto, minas e lançadores de foguetes. Mais de 180 integrantes do clã fugiram para Israel no sábado, quando ficou claro que o Hamas tomaria o controle do bairro. O clã tem cerca de quatro mil integrantes, incluídos mulheres e crianças, no bairro de Shijaiyeh.Destino dos RefugiadosApós Israel ter recebido os 180 fugitivos, começou uma queda-de-braço sobre o destino dos integrantes do clã com Abbas - ele não queria que os refugiados entrassem na Cisjordânia, por temer ficar com poucos partidários na Faixa de Gaza. Como resultado, mais de 30 foram devolvidos por Israel ao Hamas, que imediatamente prendeu metade deles. Cerca de doze dos devolvidos, temendo a vingança do Hamas, permaneceram na região da passagem da fronteira, controlada por Israel, até hoje.O Exército de Israel considerou que se os integrantes do clã voltassem a Gaza, poderiam ser mortos, e disse que não enviaria ninguém de volta à região contra vontade própria. Enfim, ficou decidido que 92 homens do clã, incluindo os 12 que ficaram na fronteira, seriam enviados à cidade de Jericó, na Cisjordânia. Outros 60 voltaram a Gaza voluntariamente, 16 permaneceram em hospitais israelenses e 13 foram detidos pelos israelenses. As informações são do Exército de Israel. Na noite de hoje, os 92 integrantes do clã chegaram a Jericó, onde foram entregues pelos israelenses à inteligência da ANP. Sufian Abu Zaydah, um palestino natural de Gaza e ex-ministro de gabinete do Fatah, disse que o exílio forçado dos partidários do Fatah é um sinal do desespero em Gaza: "Quando um homem fica entre duas escolhas, ser morto pelo próprio povo ou detido pelos inimigos, e conclui que é melhor ser detido pelos inimigos, isso mostra o quanto a situação é cruel em Gaza," disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.