Hamas diz que a "libertação da Palestina" está próxima

O chefe do escritório político do Hamas, Khaled Mechal, disse nesta quinta-feira que a libertação da Palestina "está próxima" e que os refugiados palestinos retornarão a seus lares "apesar dos desejos de Israel e dos Estados Unidos". Em entrevista coletiva realizada em Damasco, Mechal disse que a política e o governo não estão entre as maiores prioridades do Hamas, que são "a luta e a resistência", e prometeu que Jerusalém "será a capital eterna da Palestina". Ao lado de quatro guarda-costas, Mechal fez as declarações em uma cerimônia em memória de Khaled al-Fahum, ex-presidente do Conselho Nacional Palestino e da Frente de Salvação Palestina, morto há dois meses. "A luta e a resistência continuarão sendo nossa maior prioridade. Derrotaremos Israel e libertaremos a terra", acrescentou. Mechal afirmou que, apesar da vitória do Hamas nas eleições legislativas na Autoridade Nacional Palestina (ANP), "a luta continuará com o mesmo espírito com o qual começou há 50 anos, como se tivesse tido início ontem". Ele disse ainda que a operação realizada por tropas israelenses na cadeia de Jericó para levar Ahmed Saadat, líder da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), foi feita em colaboração com os Estados Unidos e o Reino Unido "para humilhar" o povo palestino.

Agencia Estado,

16 Março 2006 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.