Hamas diz que sua ideologia difere da de Bin Laden

Um porta-voz do grupo Hamas, que controla a Autoridade Nacional Palestina (ANP), afirmou que a ideologia de sua organização é muito diferente da do grupo terrorista Al-Qaeda, mas que sanções internacionais contra a ANP certamente provocarão reações iradas entre os muçulmanos. A declaração foi feita horas depois de a emissora de televisão árabe Al-Jazeera levar ao ar uma gravação de áudio em que o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, diz que "a oposição (do Ocidente) ao governo do Hamas é uma prova da cruzada contra os muçulmanos". "A ideologia do Hamas é totalmente diferente da do xeque Bin Laden", disse o porta-voz do grupo palestino, Sami Abu Zuhri. Ele ressalvou que "um cerco internacional ao povo palestino criará tensão no mundo islâmico". Nos EUA, dois deputados, um do partido do presidente George W. Bush e outro da oposição, comentaram a gravação levada ao ar pela Al-Jazeera. O presidente do Comitê de inteligência da Câmara, Peter Hoekstra, disse que as técnicas de propaganda da Al-Qaeda "deixariam qualquer político orgulhoso. A qualidade dos materiais, a qualidade do marketing e a mensagem são muito, muito boas", disse o deputado, do Partido Republicano, em entrevista ao programa de televisão Fox News Sunday. Ele acrescentou que "a Al-Qaeda reconhece que boa parte dessa guerra que estamos travando diz respeito a conquistar os corações e as mentes dos muçulmanos moderados, e eles estão concentrados nisso. Nós também precisamos nos concentrar nisso". Já a deputada Jane Harman, do Partido Democrata (de oposição a Bush), afirmou que a gravação de Osama bin Laden é um lembrete de que o líder terrorista continua solto, quase cinco anos depois dos ataques de 11 de setembro de 2001. "Não fomos capazes de apanhá-lo. Parte do motivo é o fato de estarmos atolados no Iraque", declarou Harman no mesmo programa da Fox News.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.