Hamas e Comitês Populares negam informações sobre soldado

Porta-vozes do Movimento islâmico Hamas e dos Comitês Populares da Resistência (CPR) se negaram nesta segunda-feira a dar qualquer informação sobre o paradeiro do soldado Gilad Shalit, seqüestrado no domingo por milicianos dos dois grupos em uma base de Israel."Não podemos fornecer qualquer informação", disseram Abu Obeid, do Hamas, e Abu Mujaed, do CRP, que assumiram a responsabilidade pela operação contra a base de Telem, junto à fronteira sul de Gaza, na qual, além disso, morreram dois soldados israelenses, e outros seis ficaram feridos.Os porta-vozes também não quiseram informar se estão dispostos a uma troca do soldado por prisioneiros palestinos reclusos em Israel, cujo número é calculado em 8.500, entre eles 300 condenados à prisão perpétua.Fontes palestinas tinham informado que diplomatas egípcios na Cidade de Gaza entraram em contato com os seqüestradores, mas os funcionários se negaram a fazer comentários sobre essa informação.As autoridades israelenses ameaçam promover uma invasão militar de grande escala à faixa autônoma de Gaza para resgatar o soldado e combater as milícias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.