Hamas e Fatah aceitam iniciativas para acabar com guerra

O movimento islâmico Hamas e o grupo nacionalista Fatah concordaram neste domingo com duas iniciativas, uma saudita e outra egípcia e de outras facções palestinas, para deixar de lado suas diferenças e acabar com os confrontos armados.A iniciativa da Arábia Saudita foi proposta pelo rei Abdullah, que convidou representantes das duas facções palestinas em disputa a visitarem a cidade santa de Meca para acabar com as divergências e pôr fim à atual espiral de violência, que deixou pelo menos 25 palestinos mortos nos últimos quatro dias.Porta-vozes do Hamas e do Fatah elogiaram em comunicados os esforços sauditas para que as facções palestinas deixem de lado os choques internos e tentem constituir um governo de união nacional.Além disso, os dois grupos palestinos receberam bem outra iniciativa, formulada pela delegação de segurança egípcia que está atualmente na Faixa de Gaza e proposta pela Jihad Islâmica, a Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP) e a Frente Democrática para a Libertação da Palestina (FDLP).A iniciativa, que contém cinco pontos, é outra tentativa de fazer com que os seguidores do Hamas e do Fatah ponham fim à violência dos últimos dias.A proposta defende que as facções acabem com os confrontos e retirem seus milicianos das ruas, além de libertar todos os reféns seqüestrados desde quinta-feira.Cinco membros do Hamas foram seqüestrados hoje em Nablus, enquanto na Faixa de Gaza entre quatro e seis pessoas permanecem em cativeiro.A iniciativa propõe em seu terceiro ponto que se constitua uma comissão que investigue as circunstâncias dos ataques ocorridos desde quinta-feira, e que não se dê cobertura do ponto de vista político à facção que não responda aos pedidos de calma.Por último, a proposta pede às partes que retornem à mesa de negociações para formar um governo de união nacional palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.