Hamas e Fatah não conseguem formar governo de coalizão

Negociadores do Hamas e da Fatah não conseguiram progredir nas conversas realizadas nesta quarta-feira para a formação de um novo governo palestino, afirmam fontes dos dois partidos. Maiores consultas parecem improváveis. Assim, o Hamas deve formar o governo sozinho, já que obteve a maioria no Parlamento com a vitórias das eleições de janeiro. Contudo, o partido vem negociando com outras facções para aumentar sua base, em parte para tentar diminuir as críticas internacionais sobre sua recusa em renunciar a violência e aceitar Israel. O líder do Hamas, Mahmoud Zahar, realizou a reunião em sua casa. O membro do Hamas Salah Bardawil afirmou que os líderes de seu partido iriam estudar a posição das facções nesta quarta-feira. "Eu não creio que mais consultas levarão a lugar algum", disse Bardawil. O Hamas tem até o fim do mês para formar seu gabinete, caso utilize todo o tempo previsto pelas leis palestinas. A Fatah, liderado pelo presidente palestino, Mahmoud Abbas, insiste que o novo governo deve aceitar os acordos interinos de paz, assinados por regimes anteriores e somente sob essa condição estudaria um acordo com o Hamas. O legislador Radwan al-Akhras, que participou das negociações, não estava otimista. "Eu não consigo ver nenhum encorajamento na direção de firmar um acordo sobre um programa conjunto".

Agencia Estado,

15 Março 2006 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.