Hamas e Fatah retomam diálogo sobre Plano dos Prisioneiros

Os movimentos Hamas e Fatah deverão retomar nesta quarta-feira o diálogo para chegar a um acordo sobre o chamado Plano dos Prisioneiros - criação de um Estado palestino nas fronteiras anteriores a 1967 - e acabar com a violência entre os milicianos das duas partes, informaram fontes palestinas.Os dois partidos voltam à mesa de negociações após a dilatação do prazo dado ao Hamas pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, para aceitar o documento.Abbas afirmou terça-feira que sofreu pressões de dirigentes do mundo árabe para conceder mais tempo ao Hamas antes de convocar um referendo sobre a iniciativa dos presos. O projeto prevê a criação de um Estado palestino na Cisjordânia e Gaza, reconhecendo implicitamente o direito à existência de Israel, o que o Hamas rejeita.A rádio pública israelense informou que dirigentes árabes estão tentando agir como intermediários nas conversações entre Abbas e o dirigente do Hamas no exterior, Khaled Mashaal. Aparentemente, Mashaal, um dos principais opositores ao plano dos prisioneiros, quer que o diálogo entre Fatah e Hamas aconteça numa cidade árabe fora dos territórios palestinos, para que ele possa participar.O primeiro-ministro palestino e dirigente do Hamas, Ismail Haniye, afirmou na terça que não precisa de mais dois dias para negociar o plano dos prisioneiros, que não tem nenhuma intenção de aceitar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.