Hamas e Fatah selam compromisso

Grupos rivais prometem trabalhar para formar governo de união

AP, AFP, Efe e Reuters, CAIRO, O Estadao de S.Paulo

27 de fevereiro de 2009 | 00h00

Facções palestinas reunidas no Egito encerraram ontem negociações com a promessa de continuar trabalhando para formar um governo de união entre os rivais Hamas e Fatah. Todas as partes envolvidas no processo afirmaram que esperam que o diálogo leve a um novo governo que supervisione a reconstrução da Faixa de Gaza - após as três semanas de ofensiva israelense na região - e organize eleições parlamentares e presidenciais.Os participantes decidiram organizar cinco comissões com representantes de todas as facções para lidar com todos os tipos de questões. "Nomeamos os integrantes de cada uma dessas comissões e concordamos com seus objetivos gerais", disse Ahmed Qorei, representante do partido laico Fatah. Entre as questões a serem decididas pelas comissões estão o governo interino; eleições; reestruturação das forças de segurança; a junção do Hamas e do Fatah na Organização para Libertação da Palestina; e a libertação dos detidos em prisões de facções inimigas."Esse é um dia histórico", afirmou Qorei. "Rezamos para garantir que o trem colocado em movimento aqui continue no caminho certo até que chegue ao destino que todos estão esperando."Os trabalhos das comissões devem começar no dia 10 no Cairo e devem ser encerrados até o fim do mês. Um diplomata ligado às negociações que não quis se identificar afirmou que os mediadores egípcios esperam completar o acordo a tempo de receber o apoio de uma cúpula árabe que será realizada no Catar no fim de março.Azzam al-Ahmed, outro representante do Fatah, disse que um governo de união nacional pode ser anunciado até mesmo antes do fim de março. "Sim, é possível. Estamos com pressa. Quando concordarmos sobre o início da aplicação, o primeiro passo é o governo - tudo está ligado com o governo", afirmou Ahmed. No entanto, não foi divulgado como seria formado o governo de união."Poderia ser um governo de grupos ou de especialistas técnicos", disse Qorei. "Poderia até mesmo ser um governo de tecnocratas." Já o representante do Hamas na Síria, Abu Marzouq, disse que a forma do governo e seus membros serão discutidos pelos comitês.As datas das eleições também não foram divulgadas oficialmente, mas se acredita que as votações devem ser realizadas até janeiro de 2010 - deixando aberta a possibilidade de convocar eleições antecipadas.O mediador e chefe dos serviços de inteligência do Egito, general Omar Suleiman, pediu aos palestinos que trabalhem para pôr um fim às suas diferenças. "O povo de vocês está ansioso para ver o começo da unidade", afirmou o mediador egípcio.RECONSTRUÇÃO DE GAZAOs avanços atingidos nas negociações de ontem foram vistos como essenciais para a conferência que será realizada na segunda-feira no Egito sobre a reconstrução da Faixa de Gaza. Durante o encontro, as facções palestinas terão de assegurar aos países doadores que suas divisões internas não atrapalharão o fluxo de ajuda.Eles esperam arrecadar US$ 2,8 bilhões no encontro, no qual o governo americano promete doar US$ 900 milhões.HISTÓRIA 1959 - Fundação do grupo secular palestino Fatah 1987 - Membros da Irmandade Muçulmana fundam o Hamas 1994 - Acordo de Oslo propõe criação de Estado palestino. Hamas se opõe às negociações. 2006 - Hamas vence eleições parlamentares 2007 - Militantes do Hamas expulsam forças de segurança do Fatah e tomam o controle de Gaza 2008 - Israel ataca alvos do Hamas na Faixa de Gaza por três semanas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.