Hamas e Fatah trocam tiros na Faixa de Gaza

Homens armados dos grupos Hamas - que controla o Parlamento palestino - e do Fatah - ao qual pertence o presidente Mahmoud Abbas - entraram em um conflito envolvendo bombas incendiárias, tiros e granadas pelas ruas da Cidade de Gaza, depois que o Hamas acusou Abbas de traição. Quinze pessoas ficaram feridas nos choques, enquanto altos representantes das duas facções reuniam-se para tentar desarmar a crise, que ameaça os esforços de Abbas para evitar que o Ocidente abandone os palestinos, após a chegada do Hamas ao poder. Os embates em Gaza, bem como manifestações maciças de seguidores do Fatah, tiveram início depois que o chefe político do Hamas, Khaled Mashaal, acusou Abbas de "conspirar" contra seu grupo, ao vetar uma tentativa da organização de criar uma força armada própria. "Podemos entender que Israel e os EUA nos persigam e tentem nos cercar e enfraquecer, mas o que dizer dos filhos do nosso povo que conspiram contra nós, que seguem um plano para nos fazer fracassar", disse Mashaal, sem mencionar Abbas pelo nome. O Conselho Revolucionário do Fatah emitiu uma nota em resposta, acusando Mashaal de "dar início a uma guerra civil".

Agencia Estado,

22 Abril 2006 | 11h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.