Hamas e Jihad Islâmica condenam atentado em Najaf

Os grupos extremistas palestinos Hamas e Jihad Islâmica condenaram neste domingo o atentado terrorista na mesquita de Najaf, no Iraque, que matou o líder xiita Mohammed Baqir al-Hakim na última semana. Em fax enviado à agência de notícias Associated Press, os dois grupos se declaram contra o atentado à mesquita e culpabilizam os Estados Unidos pelo fato. "Nós condenamos este ato criminoso e, quem quer que o tenha realizado, responsabilizamos a ocupação americana por tudo o que aconteceu e está acontecendo". Os grupos Hamas e Jihad Islâmica dizem ainda no comunicado que os EUA "falharam em garantir segurança e estabilidade ao Iraque, além da agressão e a ocupação injusta do país". O atentado à mesquita de Najaf matou pelo menos 125 pessoas, de acordo com autoridades militares americanas no Iraque. A conta feita por hospitais locais é de que ao menos 85 pessoas morreram no atentado. A polícia iraquiana disse ter prendido 19 suspeitos de autoria do atentado. Quase todos destes 19 seriam estrangeiros e teriam ligações com a Al-Qaeda, grupo terrorista de Osama bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.