Hamas e outras 4 facções rejeitam antecipação de eleições

O braço armado do Hamas e outras quatro facções de milicianos expressaram neste domingo rejeição ao chamado do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, para realizar eleições antecipadas. "Não ficaremos olhando uma tentativa de atentar contra a legitimidade palestina", disse Abu Abir, porta-voz dos Comitês de Resistência Popular.Em entrevista coletiva na Faixa de Gaza, havia também representantes das Brigadas de Ezzedine al-Qassam, do Hamas; de dois grupos vinculados ao Fatah; e da Frente Popular para a Libertação da Palestina (Comando Geral).O Hamas, que ganhou as eleições há menos de um ano, considera que o presidente palestino não tem o direito de convocar um pleito antecipado. Por sua parte, Abbas argumenta que fracassaram todas as tentativas para formar um governo de união nacional para superar o boicote econômico imposto ao gabinete do Hamas pela comunidade internacional.Neste domingo, foram registrados choques armados na em Gaza entre milicianos do movimento islâmico Hamas e do nacionalista Fatah, segundo testemunhas. Os confrontos seguem com um ataque contra o comboio em que viajava o ministro de Relações Exteriores palestino, Mahmoud Zahar. Ele, que saiu ileso, é um dos principais dirigentes do movimento islâmico Hamas.A situação na Faixa de Gaza é explosiva desde que Abbas convocou eleições antecipadas no último sábado. Na madrugada deste domingo, palestinos armados, provavelmente do Hamas, invadiram uma base de treinamento da guarda de Abbas no sul da Faixa de Gaza, matando um oficial e ferindo outros cinco.Na noite do último sábado, 18 palestinos ficaram feridos em choque entre milicianos do Hamas e do Fatah. Outros dois civis, um estudante e um idoso, ficaram feridos neste domingo em um tiroteio no campo de refugiados de El Bureij.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.