Hamas entra em choque com jihadistas em Gaza

Pelo menos 16 pessoas morreram e cerca de 60 ficaram feridas - incluindo civis e crianças - depois que um grupo palestino supostamente afiliado à Al-Qaeda e forças do Hamas entraram em choque ontem em Rafah, no sul da Faixa de Gaza. A organização jihadista Jund Ansar Allah (Guerreiros de Deus) havia desafiado a autoridade do Hamas, que governa Gaza desde 2007, ao declarar em vídeo o território palestino "emirado islâmico". O Hamas, que adota uma interpretação do Islã contrária aos princípios da Al-Qaeda, respondeu com um ataque de centenas de militantes à mesquita do grupo jihadista.Acredita-se que apenas um membro do Hamas esteja entre os mortos. O restante seria de militantes jihadistas.Segundo testemunhas, no momento do cerco centenas de fiéis encontravam-se dentro do templo. Forças do Hamas também invadiram a residência de Abdel-Latif Moussa, suposto líder do Jund Ansar Allah. Foi Moussa quem fez o anúncio da criação do emirado - termo histórico usado pela Al-Qaeda que designa um território submetido à lei islâmica.Em seu sermão de sexta-feira, o líder do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, negou que estrangeiros façam parte do grupo jihadista que atua em Gaza. Segundo Israel, veteranos das guerras do Iraque e do Afeganistão teriam entrado no território palestino. "Esses grupos não existem aqui", garantiu Haniyeh. A acusação seria parte da "propaganda sionista".Após os confrontos, cerca de cem membros do grupo ligado à Al-Qaeda ainda se encontravam no lado de fora da mesquita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.