Hamas entrega armas no norte da Faixa de Gaza

A liderança política do Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) ordenou a entrega das armas de seus militantes no norte da Faixa de Gaza, decisão que está sendo executada por líderes de seu braço armado, as Brigadas de Izz al-Din al-Qassam.Segundo fontes palestinas, a entrega das armas foi ordenada após a vitória eleitoral dos candidatos do movimento ao Parlamento da Autoridade Nacional Palestina (ANP) na eleição realizada em 25 de janeiro na Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental.Por enquanto, os dirigentes não deram uma explicação oficial sobre a medida, que alguns atribuem ao desejo do Hamas de satisfazer exigências do Quarteto de Madri - formado por Estados Unidos, União Européia (UE), Rússia e ONU. Outros acreditam que o objetivo é promover a unificação das milícias da resistência. Neste último caso, dizem, essa nova força paramilitar serviria para resistir aos organismos de segurança da ANP do presidente Mahmoud Abbas, que conta com aproximadamente 70 mil homens armados.Alguns dirigentes políticos como Khaled Mashaal, atualmente exilado na Síria, e Mahmoud Al-Zahar, da Cidade de Gaza, declararam recentemente a órgãos de imprensa que estariam dispostos a uma "trégua prolongada" com Israel caso o país aceite suas condições.A ANP tomou o controle da Faixa de Gaza em 12 de setembro, depois da retirada do Exército israelense e do fim dos assentamentos judaicos após uma ocupação de 38 anos. Os militantes do Hamas no centro e ao sul da Faixa de Gaza seguem armados devido aos confrontos esporádicos com seus rivais do movimento nacionalista Fatah, derrotado nessas eleições após uma hegemonia de décadas.Sessão inauguralOs 132 deputados escolhidos nesse pleito - 74 deles do Hamas - celebrarão sua sessão inaugural e prestarão juramento no próximo sábado na sede da Câmara Legislativa, na cidade cisjordaniana de Ramallah. Os de Gaza, por sua vez, farão isso por meio de uma videoconferência, pois Israel impedirá que eles cheguem à cidade.Os deputados da Fatah - maioria na atual legislatura - aprovaram na segunda-feira uma nova lei que fortalece o presidente da ANP e líder do parti, Mahmud Abbas. A partir do fim de março ele terá que trabalhar com um primeiro-ministro designado pelo Hamas. A nova lei autoriza o presidente da ANP a designar os juízes de um novo tribunal constitucional, que servirá como organismo de arbitragem nas possíveis disputas entre Abbas e o novo Governo, ou com o Poder Legislativo.De acordo com fontes políticas palestinas, os juízes que Abbas designar serão filiados ou simpatizantes da Fatah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.