Hamas exibe restos mortais de soldados israelenses

Militantes do Hamas fizeram uma exibição triunfal dos restos de soldados israelenses, depois de matar seis deles numa explosão durante combates na Cidade de Gaza. O governo de Israel ameaçou com epresálias se os pedaços de cadáveres não forem devolvidos. Sete palestinos foram mortos e 123 feridos numa batalha que teve início à zero hora, quando uma pequena força israelense entrou no bairro de Zitoun em busca de armas. Quando as tropas se retiravam, depois de horas de buscas, um blindado que transportava pelo menos 100 kg de explosivos foi atingido por uma bomba. Durante todo o dia, centenas de soldados reviraram Zeitoun em busca dos restos de seus colegas, espalhados num raio de 300 metros a partir do ponto da explosão e dando origem à série de combates. A TV Al-Jazira exibiu exibiu um vídeo que supostamente mostra dois ativistas da Jihad Islâmica assumindo responsabilidade pelo atentado e exibindo a cabeça de um soldado de Israel. Mais tarde, militantes do Hamas exibiram pedaços de metal e de carne recolhidos da cena da explosão. Em outra cena, um militante do Hamas exibiu um saco ensangüentado cheio de restos humanos. O Hamas, juntamente com a Jihad Islâmica e as Brigadas Al-Aqsa, reivindicou a responsabilidade pela explosão. Os grupos disseram que querem negociar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.