Burhan Ozbilici/AP
Burhan Ozbilici/AP

Hamas exige do Fatah que interrompa os contatos com Israel

Movimento islamita alega que Fatah deve consultá-lo em decisões relacionadas com os palestinos

Efe,

04 de janeiro de 2012 | 09h46

GAZA - O movimento islamita Hamas exigiu nesta quarta-feira, 4, do nacionalista Fatah, que faz parte da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), que cesse "todos os contatos" com Israel, após o encontro de terça-feira em Amã entre representantes dos dois povos.

"O Hamas está surpreso que (o negociador) Saeb Erekat entregue a Israel documentos relacionados com as fronteiras e os mecanismos de segurança", disse em Gaza seu porta-voz Sami abu Zuhri por meio de um comunicado. "Os documentos não foram apresentados antes às facções palestinas", acrescentou.

O movimento islamita alega que o processo de reconciliação interna aberto nos últimos meses entre as facções palestinas obrigue ao Fatah consultá-las antes de qualquer passagem relacionada com o futuro de seu povo.

Na terça-feira, em outro comunicado antes da reunião entre Erekat e o israelense Itzjak Moljo em Amã, Abu Zuhri lhe incentivou a suspender os contatos com Israel, pedido que fez novamente nesta quarta-feira.

"O movimento Hamas pede o fim dos contatos com Israel e cancelar o status de monopólio e individualismo que o Fatah ostenta nesses assuntos estratégicos", acrescenta o porta-voz.

Para Fawzi Barhum, outro dos porta-vozes islamitas em Gaza, as conversas na Jordânia foram "uma farsa, uma paródia e uma perda de tempo".

No primeiro contato após 15 meses sob a mediação da Jordânia e do Quarteto de Madri, Israel e a OLP acordaram voltar a se reunir na Jordânia antes de 26 de janeiro, com o objetivo de tentar reativar as negociações de paz no Oriente Médio interrompidas desde setembro de 2010. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
HamasFatahIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.