Adel Hana/AP Photo
Adel Hana/AP Photo

Hamas nomeia pela 1ª vez uma mulher como porta-voz do grupo em Gaza

Isra Almodallal, de 23 anos, representa líderes islamitas conservadores de Gaza; iniciativa busca mostrar o esforço do grupo, que já tentou limitar liberdade feminina, de apresentar imagem mais amistosa

Agência Estado

10 de novembro de 2013 | 11h25

O governo do Hamas da Faixa de Gaza nomeou pela primeira vez uma mulher para representá-lo no mundo. A contratação de Isra Almodallal como uma porta-voz para os líderes islamitas conservadores do território é parte de um esforço de longo tempo do grupo, que buscou por vezes limitar a liberdade das mulheres, a fim de apresentar uma imagem mais amistosa para seus cidadãos e internacionalmente.

Almodallal, de 23 anos e que fala fluentemente inglês, assumiu o posto normalmente detido por homens linha-dura que expressavam uma oposição mais forte a Israel. Ela será responsável pelas comunicações do governo com a imprensa internacional em Gaza. "Nós estamos olhando adiante para ter uma linguagem diferente e única", disse Almodallal em uma entrevista em seu escritório na Cidade de Gaza, em sua primeira semana de trabalho. "Nós vamos tornar as questões mais humanas."

A mudança na política teve início há seis meses quando o novo chefe do departamento de mídia do governo, Ihab Ghussein, assumiu o cargo. Ele contratou pessoas de imprensa mais jovens, montou um novo site oficial do governo, passou a utilizar intensamente mídias sociais e começou a realizar seminários e workshops. Ghussein disse que nomeou Almodallal em um esforço "para ser mais aberto ao Ocidente". Segundo ele, muitas mulheres se inscreveram para o cargo. "As mulheres são parceiras em nossa sociedade", acrescentou.

Almodallal, mãe divorciada de uma menina de quatro anos, não tem raízes no movimento Hamas. Diferentemente de outras autoridades do Hamas, seu gabinete não exibe uma foto do primeiro-ministro de Gaza, Ismail Haniyeh. Ela mantém um livro de história americana lá, junto com o Alcorão.

Ela cresceu em Gaza e passou cinco anos no Reino Unido durante a adolescência, estudando na Grange Technology College, em Bradford. Depois de retornar à Gaza, Almodallal estudou jornalismo na Universidade Islâmica e trabalhou como repórter de TV em um canal local e em um canal à cabo de língua inglesa, que, segundo ela, lhe ensinou como se apresentar diante das câmeras. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
hamasporta-vozmulher

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.