Hamas pede libertação de militantes palestinos

O Hamas, grupo militante islâmico que assumiu os ataques suicidas do final de semana contra israelenses, conclamou hoje o líder da Autoridade Palestina (AP), Yasser Arafat, a libertar os prisioneiros palestinos em resposta aos últimos bombardeios perpetrados por Israel. "Condenamos veementemente a agressão sionista contra os quartéis-generais de Arafat em Gaza e Jenin, assim como denunciamos o apoio americano a essa agressão, dado através de cobertura política", afirmou Khaled Mashaal, um líder do Hamas em Damasco. Mashaal conclamou a AP a "retaliar imediatamente a última agressão (por parte de Israel), através da libertação de prisioneiros palestinos e o fim da política de detenções"."A escolha do povo (palestino) é a resistência", disse o líder do Hamas, acrescentando que as forças palestinas, incluindo a AP, "devem se envolver na revolta (intifada)". A Frente Democrática para a Libertação da Palestina (FDLP), um grupo palestino com base em Damasco, também conclamou a AP a "libertar imediatamente todos os detidos". A frente, em um comunicado enviado por fax à Associated Press, também acusou os Estados Unidos de aplicarem "pressão e chantagem" para forçar Arafat a deter palestinos.As declarações foram feitas depois de Israel ter atacado com mísseis quartéis-generais de Arafat. O ataque retaliatório ocorreu apesar da detenção de 110 militantes das forças de palestinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.