Hamas pode criar exército palestino

O líder do Hamas, Jaled Mashaal, afirmou neste sábado que o grupo islâmico poderia criar um exército palestino que integraria sua ala extremista, responsável por dezenas de atentados mortais contra israelenses. A afirmação foi feita após a vitória do grupo nas eleições palestinas.Por sua vez, as autoridades israelenses condenaram o plano e exigiram que o Hamas renuncie à violência, enquanto os oficiais de segurança palestinos, muitos dos quais pertencem ao partido derrotado Fatah, afirmaram que nunca se submeterão ao controle do Hamas.Policiais furiosos invadiram o edifício do parlamento em Gaza e milicianos armados marcharam até o complexo do dirigente palestino Mahmud Abbas em Ramalah, em uma exibição de força ante ao Hamas, o que despertou temores de um incremento na violência entre facções palestinas.Houve alguns conflitos esporádicos. Homens armados do Hamas feriram dois policiais em Gaza na madrugada do domingo, no que as autoridades qualificaram como uma emboscada. O ataque ocorreu horas depois de um ativista do Hamas ser ferido em tiroteio. EUA não são inimigos do Hamas, afirma um dos fundadores do grupoPara Mahmud Zahr, um dos fundadores do movimento radical islâmico Hamas, os Estados Unidos não são inimigos do grupo. A declaração foi dada em uma entrevista à rede de televisão norte-americana CBS."Não consideramos os Estados Unidos nosso inimigo. O Hamas deseja apenas justiça do presidente George W. Bush. Acredite, as pessoas vão vincular o que acontece no Iraque, no Afeganistão e o que acontece na Palestina. E isto não interessa aos interesses dos Estados Unidos", afirmou.Bush advertiu na sexta-feira, também em entrevista à CBS, que os EUA podem suspender a assistência que fornecem aos palestinos que o Hamas não dissolver seu braço armado e não renunciar à destruição do Estado de Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.