Hamas quer trocar fita de seqüestrado por prisioneiros

Um alto membro do Hamas disse nesta quinta-feira que o grupo islâmico está disposto a entregar a Israel uma gravação com o soldado seqüestrado Gilad Shalit em troca da liberdade de prisioneiras palestinas e outros detidos.A imprensa israelense anunciou no início da semana que o Hamas poderia fornecer um vídeo mostrando o cabo do exército vivo - o primeiro mostrando o militar desde sua captura pelas milícias do partido islâmico, em 25 de junho.De acordo com relatórios, Israel poderia libertar 450 prisioneiros em troca do soldado, que deve ser entregue ao Exército egípcio. O Egito tem servido de mediador entre Israel e o Hamas.Moussa Abu Marzouk, deputado do partido islâmico, confirmou por telefone à Associated Press que Shalit está vivo.O deputado disse que seu grupo está disposto a trocar a fita pela liberdade das "mulheres palestinas e um número considerável de prisioneiros".Abu Marzuk disse ainda que o pedido é "modesto frente ao alto preço que os palestinos têm pago pelos massacres coletivos realizados por Israel depois da captura do soldado".A maior dificuldade nas negociações é chegar em um acordo sobre os prisioneiros que o Hamas pretende libertar entre os 8 mil detidos. Israel tem se recusado a soltar palestinos que tiveram algum envolvimento em ataques que mataram israelenses.O seqüestro de Shalit, feito por militantes ligados ao Hamas em solo israelense, desencadeou uma invasão da Faixa de Gaza pelo Exército israelense em junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.