Hamas rejeita idéia de restabelecer cooperação com Israel

O movimento islâmico Hamas rejeitou neste domingo, 25, a idéia de um dos assessores do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, para que seja restabelecida com Israel a cooperação em assuntos de segurança."É uma punhalada nas costas dos palestinos", considerou o Hamas em comunicado divulgado na Cisjordânia.A oferta foi feita por Nimer Hamad, assessor do presidente Abbas, em entrevista concedida hoje à rádio pública israelense."É preciso restabelecer a cooperação de segurança com o escritório de Abbas", afirmou o assessor em alusão a uma relação direta neste âmbito entre Israel e a Presidência palestina.Os corpos de segurança da ANP dependem do Ministério do Interior, que é liderado há oito dias por Hani Kawasmi, um político independente escolhido pelo primeiro-ministro palestino, Ismail Haniyeh, do Hamas, e o presidente Abbas, após árduas negociações.Nesse sentido, as declarações de Hamad caíram como um balde deágua fria não só nos círculos do Hamas, mas também da Jihad Islâmicae da Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), principais afetados pela cooperação entre os organismos de segurançade Israel e da ANP.Esse tipo de cooperação, que remonta aos Acordos de Oslo, firmados em 1993, se traduzia geralmente em batidas da Polícia palestina contra ativistas das facções armadas islâmicas.Há dois anos, por exemplo, em resposta a uma exigência de Israel, a polícia palestina deteve cerca de dez ativistas da Jihad Islâmica responsáveis por um atentado suicida em uma cidade israelense.Porta-vozes dos três movimentos consideraram que os palestinos "têm direito à resistência armada" e por isso pediram que Hamad seja afastado de seu cargo e julgado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.