Hamas revindica autoria de atentado em Jerusalém

O movimento de resistência islâmico Hamas reivindicou hoje, através de seu site na Internet, o atentado de ontem em Jerusalém, que deixou 12 mortos e mais de uma centena de feridos. Segundo o site, os atacantes suicidas que detonaram os explosivos numa rua central e movimentada de Jerusalém pertenciam ao movimento de resistência Qassam, braço armado do Hamas, e a célula que colocou um carro-bomba na capital israelense também pertence à mesma organização.De outro lado, um militante do grupo Jihad Islâmica reivindicou ontem à noite, em telefonema à rede britânica BBC, a paternidade do atentado no centro de Jerusalém e advertiu que novos ataques serão cometidos durante o mês islâmico do Ramadã, que terminará dentro de duas semanas. Ao mesmo tempo, tropas israelenses prenderam na localidade de Abu Dis, nos arredores de Jerusalém, 10 membros das famílias Halbya e Baha, já que consideram que dois de seus familiares - Nabil Halbya e Osama Baha - seriam os autores dos atentados. Segundo fontes de Tel-Aviv próximas ao primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, este último informará hoje o presidente americano, George W. Bush, sobre a intenção do governo israelense de infligir um duro golpe à Autoridade Nacional Palestina (ANP). Em meio a este clima de violência, o ministro do Exterior israelense, Shimon Peres, convocou esta manhã em Jerusalém um reunião do Conselho de Defesa, enquanto a ANP declarava estar disposta a prender militantes do Hamas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.