Hamas sugere ao Iraque que monte esquadrões suicidas

A organização islâmica Hamas, responsável por dezenas de atentados suicidas contra Israel, sugeriu nesta sexta-feira ao Iraque que copie sua tática e envie milhares de homens-bomba para combater o Ocidente. "Pedimos aos árabes e aos muçulmanos que queimem a terra sob os pés dos invasores norte-americanos, especialmente nossos irmãos na Arábia Saudita, pois esta guerra não é apenas contra o Iraque, mas contra toda a nação islâmica", declarou Abdel Aziz Rantisi, um destacado líder do Hamas.Em atos de violência ocorridos nesta sexta-feira, um adolescente de Belém, na Cisjordânia, foi assassinado por soldados israelenses que abriram fogo contra atiradores de pedras em um campo de refugiados, relataram testemunhas. As declarações de Rantisi durante uma manifestação no empobrecido campo de refugiados de Jabaliya não são uma marca do Hamas, que se concentrou em sua guerra contra Israel desde que pegou em armas, em 1987, no início do primeiro levante palestino contra o Estado judeu. Desde então, o grupo buscou não se envolver em outros conflitos.Em discurso para milhares de simpatizantes, Rantisi sugeriu ao Iraque que treine e se arme com cinturões explosivos para combater os soldados norte-americanos e britânicos no caso de um ataque ao país. "Pedimos aos líderes iraquianos que abram suas portas para voluntários muçulmanos que queiram defender o Iraque, pois todos os muçulmanos são alvo dos Estados Unidos", disse Rantisi às cerca de 2 mil pessoas na multidão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.