Hamas suspende ataques contra o sul de Israel

O primeiro-ministro palestino, Ismail Haniye, ordenou à milícia do movimento Hamas a interrupção de disparos de foguetes Qassam contra Israel durante uma semana. O objetivo é verificar se os israelenses vão cumprir sua parte na trégua de março de 2005.Segundo o jornal Ha´aretz, houve uma reunião na segunda-feira à noite, em Gaza, entre Haniye e os comandantes da milícia Azzedin Qassam, quando o primeiro-ministro ordenou aos milicianos que suspendessem os ataques contra o sul de Israel.Em troca, segundo o jornal, a Força Aérea israelense não atacará dirigentes políticos do movimento islâmico. Este compromisso foi o ponto principal da trégua negociada pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, em 2005.Reação palestinaApós 18 meses de trégua, os homens do Azzedin Qassam retomaram na sexta-feira o lançamento de foguetes. Foi uma reação à morte de sete civis palestinos numa explosão em Gaza, que para a ANP foi de responsabilidade de Israel. Os ataques dos milicianos islâmicos foram respondidos com uma contundente ação da Força Aérea israelense, que matou mais de 10 pessoas.O Ministério da Defesa de Israel avisou ao movimento islâmico, por meios públicos e secretos, que seus dirigentes corriam o risco de se tornarem alvo de uma política de "assassinatos seletivos".A mensagem foi transmitida pelo chefe dos serviços secretos, Yuval Diskin, a um dos assessores do presidente da ANP, Mahmoud Abbas, que levou o recado ao governo de Haniye.O ministro da Defesa de Israel, Amir Peretz, confirmou na quarta-feira, no Parlamento, que os últimos foguetes disparados contra o sul de Israel não são da milícia do Hamas, mas de outros grupos armados. Segundo o Ha´aretz, as outras milícias decidiram ignorar as ordens de Haniye.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.