Hamas vence eleições e premiê palestino renuncia

O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ahmed Qorei, e seu governo apresentaram hoje a renúncia ao presidente Mahmoud Abbas, pouco depois que fontes do Fatah reconheceram a vitória do Hamas nas eleições legislativas. O ministro Ghassan Khatib informou que Qorei apresentou sua carta de renúncia a Abbas devido aos resultados do pleito palestino, em que o Hamas parece ter obtido uma ampla vitória sobre o movimento governista do Fatah.Fontes palestinas da Muqata informaram que Qorei está reunido com o presidente Abbas na sede da ANP em Ramala. Khatib tinha sido convocado hoje pela manhã à Muqata, onde recebeu a notícia da renúncia de Qorei. O chefe negociador palestino, Saeb Erekat, que se negou a comentar o resultado das eleições, afirmou que "os palestinos entraram numa nova era política".O anúncio de Khatib confirma as declarações de outros membros do movimento governista do Fatah, nas quais reconheciam hoje que sua formação foi derrotada pelo grupo islâmico Hamas.Abdelsalam Abu Askar, assessor de Mohammed Dahlan, ex-ministro palestino de Assuntos Civis e um dos máximos dirigentes do Fatah, disse que o Hamas "ganhou pelo menos 70 das 132 cadeiras" do Parlamento palestino. "Em breve os palestinos saberão quem elegeram. Não sei quem pagará seus salários", disse Abu Askar. "O Hamas não tem um programa político" e "daqui a um ano voltarão a realizar eleições" devido à situação insustentável que se aproxima, acrescentou.Por sua vez, o porta-voz do movimento islâmico na Faixa de Gaza, Mushir Al-Masri, assinalou que o Hamas ganhou 44 das 66 cadeiras por distritos eleitorais e 50% dos votos pelas listas nacionais, o que concederia ao grupo 77% das cadeiras dos deputados.Al-Masri, que também é candidato do Hamas para as eleições, afirmou que os resultados foram obtidos pelo comitê de eleições do movimento islâmico e segundo uma apuração de 90% dos votos.O porta-voz afirmou que não espera que os resultados oficiais finais sejam muito diferentes e expressou a intenção de seu movimento de formar um governo de união nacional, embora tenha obtido maioria. Al-Masri acrescentou que o Hamas não fará mais comentários até que o Comitê Central de Eleições anuncie hoje à noite os resultados oficiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.