Pablo's Escoburger / EFE
Pablo's Escoburger / EFE

Hambúrguer ‘decorado’ com imitação de cocaína é destaque em lanchonete inspirada em Pablo Escobar

Chamada Pablo's Escoburgers, o restaurante australiano atrai a atenção de muitos moradores e turistas, mas também tem recebido diversas críticas de pessoas que defendem que a ideia alimenta o estigma contra colombianos

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2019 | 10h23

SYDNEY, AUSTRÁLIA - Um fast-food na Austrália cujo nome foi inspirado no narcotraficante colombiano morto Pablo Escobar tem chamado atenção de moradores e turistas por servir pratos “decorados” com imitações de cocaína e cédulas enroladas como canudos.

A lanchonete Pablo's Escoburgers, localizada em um bairro de Melbourne, utiliza como logotipo uma caricatura do chamado "rei da cocaína" morto em Medellín no dia 2 de dezembro de 1993 por disparos da polícia e a quem são atribuídos mais de 5 mil assassinatos e centenas de atentados terroristas.

Em suas páginas do Facebook e do Instagram, o restaurante exibe fotografias do cardápio que inclui um hambúrguer decorado com uma "carreira" de alho em pó, simulando cocaína, e uma réplica de uma nota de US$ 100 incrustada no pão.

Outra imagem mostra o hambúrguer com um saquinho de alho em pó com uma colher de chá, recriando o mundo de Pablo Escobar, cuja figura inspirou livros, filmes e séries, e chegou a ser idolatrado por algumas pessoas.

A lanchonete tentou minimizar a polêmica e afirmou na rede social que sua iniciativa empresarial inspirada no narcotraficante não tem a intenção de ofender ninguém. "Temos orgulho de nossos hambúrgueres, mas também entendemos que Pablo Escobar era um homem horrível que destruiu vidas de milhares de colombianos. Não perdoamos, idolatramos ou promovemos as ações de Pablo Emilio Escobar", explicou o restaurante.

"Somos australianos e sabemos como nos divertir e rir com um bom trocadilho (...). Muitos colombianos desfrutaram de nossos hambúrgueres e outros fizeram críticas terríveis e comentários ruins no Facebook, como se parecesse que o próprio Pablo esteve aqui", acrescentou.

Críticas

As explicações, no entanto, não evitaram as reações de colombianos e latino-americanos na Oceania, assim como de australianos que se envolveram em acaloradas discussões a favor e contra a ideia do restaurante.

A colombiana Elizabeth de Castro pediu ao restaurante que mude o nome e não alimente o estigma contra seus compatriotas em uma mensagem publicada no Facebook do estabelecimento. O comentário dela foi respondido por outro usuário da rede, Aaron Jaluis, que recomendou que focasse nela mesma pois se trata apenas do nome de um hambúrguer.

Jalius também sugeriu à lanchonete que receba seus clientes com a canção "Tuyo" de Rodrigo Amarante, popularizada como trilha sonora da série Narcos, da Netflix.

Outros mais indignados, como Mark Newton, comentaram: "Que tal um hambúrguer do atentado de Bali?", em alusão ao ataque com bomba da Jemaah Islamiya que matou 88 australianos em 2002. "Que tal Adolf's hitlerburguers? Soa divertido?", questionou outra usuária. "Talvez deveria fazer um hambúrguer Auschwitz para ofender a todos os judeus.” / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.