Hanergy não conseguiu pagar empréstimos bancários, diz mídia chinesa

A Hanergy Thin Film, cujas ações foram suspensas para negócios na bolsa de Hong Kong após caírem 47% na quarta-feira, teria tido problemas com o pagamento de empréstimos bancários, informou na quinta-feira a agência de notícias chinesa Caixin.

Estadão Conteúdo

22 de maio de 2015 | 05h47

Segundo o veículo de mídia, pessoas ligadas à maior empresa de painéis solares do mundo em capitalização de mercado disseram que a companhia usou ações de sua unidade listada em bolsa para tomar empréstimos bancários, e que não conseguiu pagar parte deles. A liquidação das ações teria acontecido após a direção da Hanergy ter tido pouco progresso na negociação dessas dívidas.

Pessoas ligadas à empresa disseram que ela teria tomado empréstimos junto ao Jinzhou Bank, da província de Liaoning, na segunda metade do ano passado, após o banco ter concedido uma linha de crédito de 8 bilhões de yuans a ela. Em janeiro de 2014, a Hanergy teria conseguido ao menos outros 20 bilhões de yuans junto a um consórcio de crédito liderado pelo China Minsheng Bank.

Um executivo do Minsheng, entretanto, disse à Caixin que a instituição não teria estendido o empréstimo à Hanergy. "Nós estudamos a companhia cuidadosamente e descobrimos que ela depende demais de operações conectadas entre controladora e a unidade listada. Decidimos então manter vigilância sobre suas operações", disse o executivo. (Marcelo Osakabe - marcelo.osakabe@estadao.com)

Tudo o que sabemos sobre:
Hong KongHanergyações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.