Haniye pede o cessar-fogo bilateral e Olmert rejeita a proposta

O primeiro-ministro palestino e dirigente do Hamas, Ismail Haniye, pediu um cessar-fogo bilateral neste sábado para por fim a ofensiva militar israelense contra a Faixa de Gaza e negociar a liberação do soldado israelense seqüestrado no dia 25 de junho.Após a declaração, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse rejeitar a proposta de cessar-fogo. Olmert afirmou que não irá retirar as tropas israelenses de Gaza até que o soldado Gilad Shalit, de 19 anos, seja liberado."Para sair da atual crise, é necessário que todos regressemos ao período de calma com o fim das operações militares", disse Haniye no comunicado enviado para a imprensa nesta sábado, por e-mail. Haniye pediu ainda que a libertação do soldado israelense seja negociada e, segundo ele, o governo de Hamas "está interessado em resolver o assunto de maneira calma e diplomática, sem pressão e sem uma escalada militar".Israel reiterou que não irá negociar com os militantes e não irá soltar os presos palestinos."A comunidade internacional deve abrir os olhos a catástrofe dos prisioneiros palestinos", disse Haniye.O primeiro-ministro palestino também pediu a liberação dos deputados e ministros do Hamas presos por Israel.O comunicado qualificou de "ato terrorista deplorável" a ofensiva militar de Israel contra a Faixa de Gaza, que já provocou a morte de mais de trinta palestinos e um soldado israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.