Haniye rejeita condições do Quarteto de Madri

O primeiro-ministro da Autoridade NacionalPalestina (ANP), Ismail Haniyeh, rejeitou nesta quarta-feira o cumprimento dastrês condições do Quarteto de Madri para restabelecer o diálogopolítico e as ajudas econômicas ao novo governo palestino de uniãoNacional. "Eles nos dizem que impõem condições ao povo palestino, quesignificam reconhecer a legitimidade da ocupação, condenar aresistência e nos comprometer com os acordos assinados", disseHaniyeh em um ato público. O primeiro-ministro estabeleceu esse paralelismo para se referiràs três condições do Quarteto de Madri, que são: reconhecer Israel,cessar a violência e aceitar os acordos de Oslo. Mas suas declarações não podiam ter sido feitas em pior momento,pelo menos para o presidente Mahmoud Abbas, que uma hora depois sereuniria com o presidente George W. Bush em Nova York. Os Estados Unidos se negam a aceitar o Hamas dentro de um governode união nacional na ANP, a menos que o movimento aceite de formatácita as três condições e isso fique registrado no programa deGoverno. Haniyeh sustenta que está disposto a "trabalhar" com os acordosassinados, mas nunca a aceitá-los ou reconhecê-los. "Dizemos a eles que há uma realidade com a qual estamos lidandohá seis meses, mas isso não significa que reconheçamos sualegitimidade", afirmou. "Não pagaremos nenhum preço por um governo de união nacional quesó procura reforçar nossos direitos legítimos", ressaltou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.