Haniyeh mostra otimismo sobre aceitação do novo Governo

O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Ismail Haniyeh, disse neste sábado, 17, estar "muito otimista" sobre as perspectivas do novo Governo de união nacional após as cerimônias de posse do novo ministério deste sábado, em vista das primeiras reações, em particular da decisão da Noruega de restabelecer relações políticas e econômicas com o Executivo.Em entrevista coletiva após tomar posse, Haniyeh mostrou sua satisfação com a decisão da Noruega. "Estamos otimistas, muito otimistas", disse.O primeiro-ministro expressou a esperança de que outros países sigam o exemplo da Noruega, país que patrocinou os Acordos de Oslo entre palestinos e israelenses.A Presidência da União Européia (UE), da qual a Noruega não faz parte, recebeu de forma positiva a formação do Governo de unidade da ANP, mas reiterou que esperará para ver a atuação antes de decidir se retomará as ajudas diretas ao Executivo.Em linhas gerais, o novo Governo foi bem recebido por grande parte dos parceiros internacionais. Vários países europeus qualificaram a decisão de ruptura em boa direção e alguns indicaram sua intenção de falar com os ministros que não forem do movimento islâmico Hamas.Até Washington declarou-se disposto a tratar com o ministro das Finanças, Salam Fayyad, do Partido da Terceira Via.O presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse que espera que os países árabes ajudem a convencer o resto da comunidade internacional. O Egito pediu hoje a suspensão do boicote. Israel reafirmou que não pensa em tratar com este novo Gabinete, e o vice-primeiro-ministro, Shimon Peres, pediu a seus parceiros que se mantenham firmes em exigir que cumpram as condições do Quarteto de Madri (ONU, EUA, UE e Rússia): reconhecer o Estado israelense e os acordos com este e renunciar à violência.No entanto, políticos da esquerda israelense pediram ao Governo que reconsidere esta posição. O novo Governo, anunciou Haniyeh, realizará sua primeira reunião no domingo, 18, e o presidente da ANP, Mahmoud Abbas, assistirá à mesma.PosseOs ministros do novo Governo de unidade da ANP tomaram posse em duas cerimônias simultâneas realizadas por videoconferência na Cidade de Gaza e em Ramala.Doze dos 24 ministros que formam o Governo, assim como o primeiro-ministro da ANP, Ismail Haniyeh, assumiram na sede presidencial de Gaza, onde estava o presidente Mahmoud Abbas, e a outra metade fez o mesmo em Ramala.Os ministros muçulmanos juraram sobre o Corão e a ministra do Turismo, Khouloud Ihadeb Deibas, que é cristã, sobre a Bíblia. Os novos titulares das pastas pronunciaram a fórmula consagrada: "Em nome de Alá (de Deus), juro defender os interesses palestinos e ser fiel a este Governo".A votação do Governo que ocorreu antes no Parlamento também aconteceu pelo método da videoconferência, pois Israel proíbe a livre circulação de alguns legisladores.Dez ministros, inclusive Haniyeh, são do movimento islâmico Hamas, sete são do nacionalista Fatah, três pertencem a pequenos partidos e cinco são independentes, mas propostos por uma das duas grandes formações que definiram o Governo de unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.