Haniyeh pede a facções que preservem ´a razão e a calma´

O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e líder do grupo islâmico Hamas, Ismail Haniyeh, pediu neste domingo às facções que usem "a razão e o diálogo" para preservar a união nacional, após 24 mortes ocorridas no fim de semana por conta de conflitos internos."Apelo a todo o povo: preservem a união nacional. A linguagem do diálogo e da razão deve prevalecer sobre a violência", afirmou Haniyeh no início de uma sessão do Conselho de Ministros realizada nesta tarde na Cidade de Gaza.O chefe do Executivo também pediu ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, que ordene aos milicianos do movimento nacionalista Fatah que se retirem das ruas palestinas.No entanto, o porta-voz do Fatah Tawfiq Abu Khusa acusou a chamada Força Auxiliar, criada pelo Hamas em maio, de ser o "principal elemento de tensões e da continuação dos atos violentos e dos assassinatos".Já o deputado do Hamas Yehia Moussa afirmou que Abbas, que está na Jordânia e deve retornar neste domingo a Ramala, "é o responsável das tensões e de todas as formas de golpe de Estado" para derrubar o Governo, referindo-se ao desejo do presidente de antecipar as eleições gerais.No último incidente de violência entre facções ocorrido hoje na cidade de Nablus, na Cisjordânia, pelo menos cinco trabalhadores do Departamento de Educação foram seqüestrados por milicianos das Brigadas dos Mártires de al-Aqsa, facção vinculada ao Fatah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.