EFE | CHRISTIAN CHARISIUS
EFE | CHRISTIAN CHARISIUS

Hannover sofreria múltiplos ataques, diz ‘Bild’

Segundo jornal alemão, plano para atacar amistoso entre Alemanha e Holanda chegou ao Ministério do Interior alemão, que decidiu cancelar a partida

O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2015 | 21h34

BERLIM - Uma reportagem publicada nesta quinta-feira pelo jornal Bild diz que um grupo de diversos radicais planejou detonar múltiplos explosivos no estádio de Hannover, na terça-feira, no amistoso entre Alemanha e Holanda. A partida foi suspensa pela polícia, mesmo sem nenhum suspeito ter sido preso e nenhum explosivo, encontrado.

O jornal diz ter obtido uma cópia de um documento que o serviço de inteligência interna da Alemanha providenciou ao ministro do Interior, Thomas de Maiziere. Ainda de acordo com o Bild, o conteúdo do documento era tão grave que as autoridades tiveram de cancelar a partida.

Com base em dados de um serviço de inteligência estrangeiro, o documento detalhou como um grupo de diversos agressores planejava detonar múltiplos explosivos no estádio em Hannover, assim como uma bomba no centro da cidade.

Os agressores planejavam levar os explosivos para dentro do estádio em uma ambulância, segundo o documento, de acordo com o jornal. O líder do grupo filmaria o ataque. Após a meia-noite, outro ataque estava planejado na estação ferroviária de Hannover.

As autoridades que investigaram a ameaça, no entanto, não encontraram explosivos no estádio. Não houve comentários de imediato do Ministério do Interior sobre os detalhes revelados pela reportagem do jornal.

O premiê do Estado da Baixa Saxônia, Stephan Weil, disse na quarta-feira que autoridades alemães tinham indicações concretas de uma ameaça na segurança, que levaram à suspensão do jogo entre Alemanha e Holanda. A chanceler alemã, Angela Merkel, assistiria à partida no estádio.

No dia em que a ameaça foi divulgada, a imprensa alemã informou que foram registradas ameaças de bomba dentro do estádio e na estação de trem de Hannover. Os meios de comunicação também disseram que um caminhão-bomba disfarçado de ambulância foi colocado no estádio, mas essas informações acabaram sendo desmentidas pelo governo alemão.

Na quarta-feira, Merkel disse que a decisão de cancelar o amistoso foi “responsável”. “Fiquei tão triste quanto os milhões de torcedores que esperavam a partida quando ela foi cancelada. Mas a equipe de segurança tomou uma decisão responsável”, disse Merkel. “É uma decisão difícil, talvez a mais difícil, escolher entre liberdade e segurança.”

O diretor da Polícia Federal Alemã, Holger Muench, alertou ontem para o risco de aumento na ameaça terrorista de radicais islâmicos e disse que isso representa um desafio cada vez maior para o país. Ainda de acordo com ele, 750 pessoas viajaram nos últimos meses para Síria e Iraque, possivelmente com o objetivo de treinar em células jihadistas. “Estamos avaliando os riscos de uma ameaça concreta, mas ainda não temos evidências que sustentem isso”, disse. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.